AMM CURITIBA VISITA APIAÍ – SP e ENTREGA LIVROS ” A ÚNICA ESPERANÇA” AOS MOTOCICLISTAS

No dia 18 de Junho de 2016 os motociclistas do AMM Curitiba colocaram os pneus de suas motos na estrada.

Rumo à cidade de Apiaí, estado de São Paulo, pela BR 476, mais conhecida com Rastro da Serpente, nome dado devido às suas centenas de curvas durante o perigoso trajeto da estrada que liga os Estados de Paraná e São Paulo.

O motivo da viagem é destacado pelo cumprimento da missão de levar o evangelho onde for preciso, sem medir esforços e nem temores, apresentando o moto clube reconhecido oficialmente pela Conferência Geral da Igreja Adventista do Sétimo Dia, na iniciativa de formar novas sedes do AMM pelo país e claro, entrar em contato com outros motociclistas que frequentemente “passeiam” por esta rodovia.

A programação realizada pelo moto clube na Igreja Adventista do Sétimo Dia Central de Apiaí  (Escola Sabatina / Culto) teve como foco a adoração à Deus e incentivar os membros a buscarem Sua presença e fortalecer o sentimento de trabalho missionário. Estavam presentes vários membros e amigos da Igreja que também possuem motocicletas e o AMM Curitiba fez o apelo para que unissem à este ministério de motociclistas, isto pela manhã e a tarde foi realizado um JA que teve como principal foco apresentar o AMM a nível mundial e dar a conhecer a todos o maravilhoso trabalho realizado por estes corajosos cristãos no trabalho de ‘buscar e salvar’ o que se havia perdido.

Lá também encontramos um casal que apelou à liderança do AMM Curitiba a tentativa de resgatar um de seus filhos que já havia sido membro atuante da IASD mas que encontrou em outro moto clube motivos para abandonar a fé.

Recebido a missão, o AMM Curitiba assumiu o compromisso de viajar até a cidade de Palhoça (SC) e tentar apelar a este jovem seu retorno e motivá-lo a participar desse movimento de motociclistas em evangelizar outros colegas que utilizam este veículo no seu dia a dia.

Mas essa história continua em outra ocasião, pois nosso lema é “Fazer o que é preciso, do jeito que eu gosto”.